Mediação Extrajudicial: Por que essa é uma das melhores áreas para quem está se graduando em Serviços Jurídicos e Notariais?

O que é a Mediação Extrajudicial?

mediação de conflitos

Para você que ainda não sabe o que é a mediação extrajudicial, citarei um breve resumo:

“A mediação é um meio de resolução de conflitos, onde as partes litigantes devem estar dispostas a aceitar a ajuda de um interventor (mediador), se sua função for ajuda-los a lidar com suas diferenças — ou resolvê-las”.

(Brandão; Spinola; Duzert, 2010, p. 41).

Além da profissão ser legalizada pela LEI Nº 13.140, DE 26 DE JUNHO DE 2015, a mediação vem crescendo exponencialmente no Brasil e vem sendo incentivada pelo CNJ (Conselho Nacional de Justiça), como uma forma alternativa, rápida e eficiente de resolução de conflitos, sem a necessidade das partes ingressarem com ações no poder público, causando, assim, uma desoneração ao judiciário brasileiro.

Matérias que podem lhe interessar:

Quem pode ser mediador extrajudicial?

Qualquer pessoa – maior de idade e capaz – pode ser um Mediador Extrajudicial, basta ser autorizada por ambas as partes em conflitos e, claro, deter os conhecimentos necessários para mediar um conflito.

No artigo 9° da mencionada Lei, dispõe que:

Poderá funcionar como mediador extrajudicial qualquer pessoa capaz que tenha a confiança das partes e seja capacitada para fazer mediação, independentemente de integrar qualquer tipo de conselho, entidade de classe ou associação, ou nele inscrever-se”

Lei n° 13.140 de 26 de junho de 2015.

Por este motivo, não fica clara a obrigatoriedade do Mediador deter um diploma específico na área, sendo assim, podemos depreender que o profissional precisa ser capacitado para tal, desse modo, tal “capacitação” pode advir de práticas do dia a dia, livros, cursos e estudos e não — necessariamente — de um diploma de curso técnico, graduação ou pós-graduação.

Contudo, todavia, entretanto, sugerimos que o interessado em agir como mediador faça um curso na área para adquirir habilidades e técnicas necessárias para uma mediação eficaz.

Aonde o Mediador pode trabalhar?

Após estar preparado, você poderá atuar em escolas, condomínios, clínicas, cartórios extrajudiciais, câmaras privadas de mediação, ou como profissional liberal, atuando por conta própria na resolução de conflitos de terceiros.

O Mediador poderá escolher uma área de conflito que deseja se especializar, como: Litígios familiares, conjugais, empresariais, trabalhistas entre outras.

Quanto ganha um Mediador Extrajudicial?

Como assalariado, os valores podem variar de R$1.765,00 (mil setecentos e sessenta e cindo reais) a R$ 4.400,00 (quatro mil e quatrocentos reais). Esses valores dependerão do porte médio de cada empresa.

Já como autônomo, o mediador poderá cobrar por hora, ou uma porcentagem por conflito mediado. Os valores cobrados (por hora) podem variar de R$60,00 (sessenta reais) a R$1.250,00 (mil duzentos e cinquenta reais), e depende, é claro, da experiência e nível de formação de cada mediador.

Bem, agora que fiz esse resumo abordando o que era a Mediação; quem pode ser; aonde pode trabalhar e quanto ganha, posso ir ao cerne do tema.

Por que esta profissão é uma das melhores áreas pra quem está se graduando em Serviços Jurídicos e Notariais?

Como vocês sabem, o Gestor Jurídico e Notarial pode atuar apenas nas áreas paralegais e extrajudiciais, e aprende, durante o curso, como funciona o poder judiciário e sua estrutura, rotinas, prazos e etc. Além disso, em muitos casos, as faculdades oferecem na grade de ensino as disciplinas de mediação e arbitragem, dessa forma, você sai da faculdade detendo os conhecimentos necessários para exercer a profissão de mediador extrajudicial.

As áreas para atuar são versáteis e é possível mesclar a mediação com as suas atividades

Eu acredito que a mediação, para o Gestor(a) Jurídico, é um ás na manga e atributo essencial a ser exercido por este profissional. Vou explicar.

Suponhamos que você, Gestor (a) Jurídico, seja um especialista em contratos e elabore um contrato de prestação de serviços, onde, no futuro, as partes entrem em conflito e decidam por rescindir o pacto firmado. Como Mediador, você terá a capacidade de se sentar com os litigantes e resolver o conflito, sem a necessidade de um Advogado, ou, em casos extremos, evitar que o litígio chegue até o judiciário.

Em outra hipótese, podemos imaginar que você seja assalariado em uma imobiliária que toma conta de um condomínio. Certo dia, os condôminos começam um conflito que, aparentemente, terminaria em caso de justiça. Porém, você, na autoridade de mediador, reune os conflitantes para uma mediação e utiliza suas habilidades e técnicas de autocomposição e resolve o problema de forma rápida e eficaz, sem a necessidade dos litigantes acionarem o judiciário.

Entenderam? Existem diversos casos que posso exemplificar, porém, creio que vocês já entenderam que a mediação pode ser exercida em diversos casos e situações.

É legalizada por Lei e incentivada pelo CNJ

Como puderam perceber no início do artigo, se trata de uma profissão legalizada por Lei Federal e incentivada pelo CNJ.

Todo mundo está cansado de saber que processo judicial demora muito e custa caro, por este motivo, a mediação vem sendo incentivada por diversas instituições com o intuito de diminuir a demanda judicial. O que torna essa profissão bastante promissora.

Baixo investimento para começar a oferecer os seus serviços

Para atuar como mediador extrajudicial autônomo, basicamente, você precisará de:
*Laptop;
*WebCam;
*Celular para fazer ligações, quando necessário, e;
*Internet de boa qualidade.

Sim, isso mesmo. Durante a pandemia, as sessões de mediação estavam sendo feitas por videochamada, o que abriu uma brecha para quem não tinha condições de pagar aluguel e abrir um escritório, a fazer as mediações via aplicativos como o ZOOM e o MEET da sua própria casa.

Isso revolucionou e abriu um precedente para uma nova forma de mediar conflitos. Desse modo, você pode trabalhar da sua própria casa e atender clientes do mundo inteiro, independentemente se você mora em uma cidade com 5 mil habitantes, ou em uma grande metrópole, se tiver um bom plano de internet e os equipamentos citados acima, dá pra começar a ganhar dinheiro com a mediação, sim!

Concluindo

A resolução de conflitos faz parte do cotidiano de um Gestor Jurídico, não importa a área em que atue! Exercer, portanto, mais essa função, fará com que você seja um profissional ainda mais preparado e solicitado.

Publicado por Portal Paralegal

Somos a primeira – e maior – comunidade a gerar conteúdos sobre a profissão Paralegal no Brasil.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: